Vai viajar e não sabe o que fazer na Jamaica? Veja abaixo as nossas dicas.

 

A Jamaica é uma mistura de diferentes culturas, é a terceira maior ilha do caribe e uma das mais famosas.

Localizada na America Central, ela é membro da Commonwealth, e foi uma colônia britânica até 1962, quando conseguiu sua independência, e é o berço do movimento religioso rastafári, que teve uma força cultural refletida na sua musica e arte, com Bob Marley, inclusive sendo considerado líder de sua musica.

Ela é muito famosa pela suas praias belíssimas e natureza intocável, com uma incrível cultura musical e gastronomia deliciosa.

A Jamaica é dividida em 14 paróquias, que são agrupadas em três condados: Surrey (Kingston), Middlesex (Spanish Town) e Cornwall (Montego Bay).

Sua Capital é Kingston, e o fuso horário é -2h em relação a Brasília, desconsiderando o horário de verão.

A língua é o patois, que é uma mistura da língua inglesa com influências africanas, porém a língua predominante é o inglês, que todo mundo fala, e é tranqüilo para se comunicar.

 

 

VISÃO GERAL

Quando eu conheci a Fe, minha namorada, a primeira coisa que ela me falou foi que o sonho dela era conhecer a Jamaica, confesso que no começo achei um destino peculiar, e não fazia ideia o que tinha naquele país.

Algum tempo depois, decidimos fechar a viagem, e quando começamos a pesquisar, comecei a ver o quão bonito e diferente era esse lugar.

A caminho da Jamaica, do próprio avião você já consegue ver a beleza, o mar azul de vários tons. Ao chegar ao aeroporto, na imigração, eles perguntam as cidades que você vai visitar, pede a comprovação das reservas dos hotéis e a carteirinha internacional de vacinação.

Nossa ideia sempre foi rodar a ilha para conhecer o máximo possível do país, e a cultura deles. Além disso, os preços dos hotéis, e resorts num geral, eram bem caros, isso nos motivou a procurar alternativas nos lugares.

Para pegar o carro no aeroporto, não enfrentamos filas, e a comunicação foi bem tranquila. Uma preocupação que eu tinha, era com relação à direção, que na Jamaica é mão inglesa. No começo é bem estranho e você fica meio tenso, mas passado os primeiros minutos, a coisa acaba fluindo.

Logo que saímos do aeroporto, caímos no trânsito da cidade, com isso pude perceber que era um pouco caótico e meio “sem lei”, e o que nos ajudou bastante foi o Waze.

Conhecer o país de carro vale muito à pena. Apesar de que 90% das estradas são mão única, e cheias de curvas, ao estilo serra.

Tome cuidado, porque a galera vem dirigindo a mil, e fazendo ultrapassagens bem imprudentes, então é sempre bom ficar esperto.

A primeira impressão que tivemos, é que as cidades no caminho são na beira da estrada, e não são muito grandes, em sua maioria casinhas bem humildes. Apesar de existirem algumas casas com arquiteturas muito diferentes e bonitas, bem estilo americano antigo.

Se você assim como nós vai rodar varias cidades e conhecer vários pontos da ilha, esteja preparado com alguns dólares no bolso, pois os preços das atrações não são dos mais baratos.

Alguns lugares têm uma estrutura boa que justifica o preço, porém a maioria não tem uma boa estrutura e por isso achamos os valores bem altos.

Vale lembrar que os valores para turistas são muito mais caros do que os valores para os locais.

Uma coisa que você vai encontrar em muitas atrações se você for de carro, são pessoas te pedindo (você é obrigado) para parar antes de chegar à entrada principal da atração, falando que precisa de um guia, e que eles são guia, e conhecem os melhores pontos do lugar.

Não caia nessa! Fale que você já tem as entradas compradas, e que irá direto para a entrada principal.

Isso porque eles vão te cobrar um preço maior do que o original, e, além disso, a maior parte entra em rotas alternativas que não chegam à atração principal, por isso sempre vá até a entrada do lugar e se necessário pegue o guia lá.

Em muitos lugares, você paga só à entrada, mas é obrigado a ir com um guia do local, e no final do passeio o guia vai te pedir uma gorjeta do quanto você acha justo.

Vale lembrar que eles estão acostumados com os norte-americanos que pagam gorjetas altas, por isso qualquer quantidade que você der, eles sempre vão pedir mais, ou ficar insatisfeito, e nesse momento você tem que ser manter firme, ou vai ter que deixar uma boa grana.

Outra coisa que nos incomodou, é que em muitas atrações, ficam pessoas que não trabalham lá e que também não estão a passeio, paradas olhando os turistas, achamos isso um pouco incomodo, pois todos ficam te olhando, ainda mais se você for mulher.

O assédio inicial nas praias, quando saiamos pra caminhar foi algo que também nos incomodou um pouco, principalmente porque algumas pessoas eram um pouco mais invasivas, e o que mais era oferecido era maconha.

Eu não recomendo você aceitar, porque ouvimos alguns casos de pessoas que foram assaltadas por aceitar comprar com qualquer pessoa na rua.

O pessoal que trabalha nos bares, e em lugares turísticos, foram muito gente fina conosco, sempre muito animados, e quando falávamos que éramos do Brasil, a alegria da galera aumentava, eles curtem demais os brasileiros.

Como eu postava foto de todos os lugares que nós íamos, a galera sempre me perguntava: “Toda água ai é azul?” e eu percebi que a água quando era doce, era mais esverdeada, e quando era salgada, era mais azulada! Incrível!

Todos os passeios que fizemos valeram MUITO à pena, um lugar mais incrível e bonito que outro. Posso dizer que a Jamaica é um dos lugares mais bonitos que eu já fui. São muitas cachoeiras e praias incríveis, sempre com a água muito limpa. A única coisa que senti falta foi de uma infra-estrutura básica em alguns lugares.

Algo que estávamos com muita vontade de experimentar era o famoso Jerk Chicken, e o Patties (uma espécie de salgado assado recheado). E em praticamente todos os lugares que nós fomos, o Jerk estava presente, e em geral, é um prato bem gostoso, porém apimentado.

O clima de reggae é algo que até hoje estamos sentindo falta, o por do sol com esse clima na praia é uma das coisas mais maravilhosas que você vai sentir! Você sente isso no povo, nas cores e nas roupas.

Para a galera que quer passar lua de mel lá, é um lugar perfeito também, devido aos seus resorts magníficos, e lugares paradisíacos.

Muitas pessoas têm receio de ir para Jamaica, pois falam que é um país violento. Nós não sentimos muito isso. Claro que é um país muito pobre, e que sempre acaba tendo violência, mas ouvimos falar que é mais centrada em Kingston e algumas áreas de Montego Bay.

Ficamos só um dia em Kingston devido ao medo do que as pessoas falaram, mas não vimos nada de absurdo, claro que não demos muita bobeira e nem saímos a pé de noite, mas achamos no geral um lugar tranqüilo.

Um dica que deixo é sempre se informar quando chegar nos lugares, perguntar como é para andar na rua e sair à noite.

Em um geral, a Jamaica é um lugar muito bonito, rico em cultura, comida e música.

O meu conselho é, vá! 

INFORMAÇÕES GERAIS

Tópicos: 

  1. Quando ir;
  2. Como Chegar;
  3. Documentação;
  4. Moeda;
  5. Como se Locomover;
  6. Quanto Tempo Ficar;
  7. Onde se hospedar;
  8. Gastronomia;
  9. Compras;
  10. Alguns Eventos e Festivais na Jamaica;
  11. Dicas Gerais;
  12. Nosso Roteiro na Jamaica.

1 – QUANDO IR

O clima da Jamaica é tropical e é influenciado pelos ventos alísios que vem do Nordeste.  A melhor época é ir nos meses secos que vão de Dezembro a Abril.

A época de chuvas vai de Maio a Outubro, lembrando que entre Junho e Novembro é a época de furacões, mas apesar disso, é uma época muito procurada devido a alguns festivais que ocorrem nessa época.

Nos fomos em Março/2018, e achamos uma época muito boa, pegamos um ótimo tempo.

Recomendo levar roupas leves, chinelos e traje de banho, pois será só isso que você vai usar.


2 – COMO CHEGAR

Somente Kingston e Montego Bay têm aeroportos internacionais na ilha, e não há vôo direto para a Jamaica do Brasil.

A opção mais comum é ir pela Copa Airlines, e fazer escala no Panamá, ou por outras companhias tipo American Airlines e Delta, fazendo escala nos EUA, lembrando que nessa segunda opção é necessário ter visto americano.

Nós fomos e voltamos pelo aeroporto de Montego Bay, pela Copa Airlines.


3 – DOCUMENTAÇÃO

Para entrar na Jamaica é necessário ter passaporte com validade mínima de seis meses, e não é necessário visto para visitar, mas é obrigatório o certificado de vacinação internacional.

Na imigração eles pedem a comprovação de onde você vai ficar hospedado e o certificado.

Para tirar a carteirinha de vacinação, é melhor fazer o cadastro no site da Anvisa para agilizar, e tentar agendar pelo site. Se não tiver horário disponível é só chegar pessoalmente com a documentação e eles fazem na hora, por ordem de chegada.


4 – MOEDA

A moeda na Jamaica é o dólar jamaicano, e J$ 100,00 equivalem mais ou menos a U$ 1,00 (ref marco/18).

Dólares americanos também são amplamente aceitos, como cartões de credito, apesar de lá ter muitos lugares simples, que não aceitam cartões.

Com isso, recomendo sempre trocar dinheiro, até porque eles são complicados com troco, e no final o troco sempre acaba voltando em dólares jamaicanos, e com isso você pode acabar perdendo dinheiro.

Trocamos o dinheiro logo que chegamos ao aeroporto, o que acho que vale muito a pena, pois não me lembro de ter visto muitas casas de câmbio.


5 – COMO SE LOCOMOVER

O transporte público na ilha é ruim e vimos poucos taxis, e como as atrações são espalhadas pela ilha, recomendo alugar um carro, que apesar de a mão ser inglesa, é muito fácil de se locomover.

As pistas normalmente são de mão simples, com muito trânsito, e as pessoas não respeitam, então tem que estar sempre atento. A única estrada boa que vimos é a T3 (pegamos ela, indo de Negril para Kingston). 

Uma única ressalva que temos, é que algumas atrações são muito longes das cidades, às vezes dando mais de uma hora de locomoção, e como a estrada não é das melhores, acaba cansando muito o trajeto.

Nesse caso, se estiver tranqüilo de dinheiro, vale a pena fechar um tour para algumas atrações.

Caso opte por não alugar um carro, você pode utilizar os route-taxis, que tem uma rota definida, ou então contratar um transfer, a empresa mais famosa na Jamaica é a Juta Tours.

Você pode fechar os passeios separadamente por agência, nos hotéis, ou então você pode comprar antecipadamente online nos diversos sites que vendem.

Uma das mais conhecidas agências de viagem na Jamaica é a Chukka Caribbean Adventures.

Nós alugamos nosso carro pela Rentcars (Álamo) aqui pelo Brasil antecipadamente, e o valor total do aluguel por nove dias com seguro ficou U$ 700,00 e foi bem tranqüilo, não tivemos problema nenhum com o carro e nem com a Álamo.

Lembrando que para dirigir na Jamaica você não precisa de permissão internacional, basta apenas ter a sua CNH.

O único problema que tivemos, foi o chip da Easysim4you que comprei, e acabou me deixou na mão.

Aparecia que tinha sinal, porém não funcionava quase nada de internet. No fim das contas, tivemos que ativar o chip do Brasil, através do roaming, pois precisávamos do Waze para nos locomover, por isso, às vezes vale à pena alugar um carro com GPS incluso.


6 – QUANTO TEMPO FICAR

A Jamaica é uma ilha em que as suas atrações estão muito espalhadas pelo país, eu acredito que quinze dias é um tempo legal, e da para conhecer bem os pontos principais do país.

Nós ficamos apenas nove dias, então tivemos que acabar pulando algumas atrações, devido ao curto tempo que tínhamos e ao longo deslocamento de um ponto para o outro.

Caso você tenha poucos dias, visite os pontos principais do seu interesse e escolha uma cidade base baseada neles, acredito que Ocho Rios seja uma boa opção, pois ela fica entre Montego Bay e Port Antonio, e grandes atrações ficam nessa área.

 

SUGESTÃO DE ROTEIRO:

  • NEGRIL + SOUTH COAST = 5 DIAS
  • KINGSTON + BLUE MONTAINS = 2/3 DIAS
  • PORT ANTONIO = 2/3 DIAS
  • OCHO RIOS + ORACABESSA = 3 DIAS
  • MONTEGO BAY + FALMOUTH = 3 DIAS


7 – ONDE SE HOSPEDAR

Na Jamaica a maioria se hospeda em hotéis de grandes redes all inclusive, ideal para quem quer curtir só o hotel, e às vezes nem sair dele, com isso acabam não conhecendo a verdadeira Jamaica.

Como nossa idéia era rodar, conhecer a cultura do país, explorar a ilha ao máximo e não queríamos gastar muito, optamos por algo com um bom custo beneficio e bem localizado.

Confesso que procuramos bastante, pois no geral os hotéis não são tão bons e cobram caro para o que oferecem.

O ideal é pesquisar bastante, e ler as reviews para ver onde você esta entrando e a localização.

Nós não temos grandes reclamações dos nossos hotéis, e nos posts de cada cidade falamos mais sobre cada um.

 

HOTÉIS QUE FICAMOS HOSPEDADOS:

  • Negril:  White Sands Negril
  • Kingston: Crescent Court Hotel
  • Port Antonio: All Nations GuestHouse
  • Ocho Rios: Kaz Kreol Beach Lodge & Wellness Retreat
  • Montego Bay: Doctors Cave Beach Hotel

Hotel Kaz Kreol Beach Lodge em Ocho Rios

Hotel Kaz Kreol Beach Lodge em Ocho Rios

 


8 – GASTRONOMIA

A comida jamaicana é muito apimentada, e geralmente tem mistura de diversos temperos como gengibre e caril e eles também priorizam os alimentos orgânicos. Ahh e não podemos nos esquecer da tradicional cerveja Red Strip.

 

ALGUMAS COMIDAS/BEBIDAS TIPICAS:

Jerk Chicken/Pork – Carne/frango marinado com molho jerk, que é uma mistura de diferentes temperos bem apimentada, e depois é assada na churrasqueira.

Jerk Chicken do Restaurante Rockhouse em Negril

Jerk Chicken do Restaurante Rockhouse em Negril

 

Goatcurry – Cozido de carne de cabra com curry.

 

Patties – É uma massa folheada recheada, tipo um pastel. O mais tradicional é o de carne. Geralmente são apimentados. Recomendo comer no Juice Patties ou Tastee, que são franquias especializadas.

Patties e Red Strip no Ricks Café em NegrilPatties e Red Strip no Ricks Café em Negril


Bammy
– É uma massa frita feita de mandioca, parecido com um pão.  Ele geralmente é acompanhamento de alguns pratos.


Ackee and saltfish
– Eles costumam comer no café da manha. É uma fruta típica que se chama ackee, cozida e salteada com bacalhau, misturada com pimentão e especiarias.


Escovitch Fish
– É tipo um ceviche jamaicano.

Chutney de mamão verde – Mamão marinado com suco de tamarindo, pimentão e vinagre.

Rice and Peas – Arroz cozido com feijão a base de leite de coco, servido como acompanhamento.

Festivals – É tipo um bolinho de chuva salgado.

Sorrel – Essa é uma fruta tipica, que nós conhecemos aqui no Brasil como Hibisco. Nós vimos muito nas feirinhas vendendo, e é muito tradicional eles beberem drinks/chá com sorrel, nós tomamos a Red Strip de Sorrel e era muito gostosa, porém um pouco doce. 


Red Strip
– Não podemos nos esquecer da cerveja red strip, que é a tradicional cerveja do país, você vai ver em todos os lugares vendendo. Ela é muito gostosa, o sabor é bem parecido com uma lager tradicional.

 

9 – COMPRAS

Vale à pena comprar as coisas tradicionais do país, como o café Blue Mountain, o Rum Appleton Estate e o Licor tia Maria.

Não podemos esquecer os apetrechos e lembrancinhas do Bob Marley, alem dos souvenires.

Em todas as cidades tem uma feirinha de artesanato, com muitas coisinhas para comprar, o segredo é sempre pechinchar, que eles acabam abaixando muito o preço.

 

10 – AlGUNS EVENTOS E FESTIVAIS NA JAMAICA

  • Bob Marley Week – Dia 6 de fevereiro é o aniversario do cantor Bob Marley, foi proclamado dia festivo nacional, e na primeira semana de Fevereiro, ocorrem muitos eventos, com shows, palestras, tipo um tributo para homenagear o rei.
  • Blue Montain Coffee Festival – Festival nas Blue Mountains de musica, culinária, arte e artesanato, com muito café é claro, e apresentações musicais, em 2018 o evento ocorreu em Março.
  • Carnival in Jamaica Festival que ocorre em Março/Abril na cidade de Kingston, uma das maiores celebrações culturais com desfiles, bailes e shows.
  • Ocho Rios Jazz Festival – Festival musical de Jazz que ocorre entre Maio e Junho, na cidade de Ocho Rios e é muito conhecido em todo o Caribe.
  • Reggae Sumfest – Esse é o maior festival musical de reggae da Jamaica, realizado entre Julho e Agosto, em Montego Bay.
  • Jamaica Dream Weekend – Festival de música, realizado nas praias de Negril, com cinco dias de festas, geralmente acontece em Agosto.
  • Reggae Marathon  – Principal Maratona Internacional da Jamaica, esse ano vai ser na cidade de Negril no dia 02 de dezembro.
  • Rastafari Rootzfest – Festival em Negril que ocorre em Dezembro e celebra o estilo de vida rastafári, com musica, arte, culinária e suas crenças religiosas.

 

11 – DICAS GERAIS

  • Quase todos os passeios na Jamaica são pagos, é raro passeios de graça. É bom ir preparado, e saber que os preços das atrações para nativos é diferente dos preços para turistas.
  • Jamaica é o país do reggae. Você vai ouvir todas as músicas em ritmo de reggae e tudo para eles é Bob Marley.
  • A comida Jamaicana é muito gostosa e muito bem temperada, vale à pena experimentar.
  • Tome a Red Stripe, cerveja oficial da Jamaica.
  • É interessante levar do Brasil sapatos de água, pois em vários lugares é obrigatório e você vai precisar alugar, custa em torno de U$ 7,00.
  • Prove o café Blue Mountain, é muito tradicional.
  • Há muito assedio e insistência de vendedores ambulantes que vão te oferecer de tudo, passeios, trancinha no cabelo, artesanatos e principalmente maconha, na Seven Mile Beach em Negril, foi o pior lugar.
  • Todas as cidades têm uma feirinha, para comprar artesanatos e lembrancinhas.
  • A maior parte dos jamaicanos não gostam de ser fotografados
  • Você vai ouvir muito os locais falando: “Respect” e “No Problem”.
  • As cidades que mais gostamos foram Negril e Port Antonio.
  • Uma curiosidade é que quase não se vê brasileiros na Jamaica, encontramos somente três durante a viagem toda.
  • A ilha não é muito grande e da para fazer tudo de carro, vale a pena alugar e explorar o país.
  • Para dirigir na Jamaica a mão é inglesa. Nos dez primeiros minutos é difícil, depois acaba pegando o jeito.
  • Não dirija nas estradas de noite. Elas são muito mal iluminadas e cheias de curvas.
  • Vão te oferecer maconha por toda a parte, tome muito cuidado para não cair em armadilhas.
  • Para quem procura refeições rápidas e baratas, na Jamaica têm muitos KFC, Burger King, além das cadeias jamaicanas Tastee e Juici Patties, espalhadas pelo país.

 

12 – NOSSO ROTEIRO NA JAMAICA

Conheça nosso roteiro pela Jamaica, Tópicos:

  1. Negril ( 3 Noites );
  2. Kingston ( 1 Noite );
  3. Port Antonio ( 2 Noites );
  4. Ocho Rios ( 2 Noites );
  5. Montego Bay ( 1 Noite ).

 


1ª PARTE – NEGRIL (3 NOITES)

De Montego Bay para Negril

De Montego Bay para Negril

 

Chegamos ao aeroporto de Montego Bay, pegamos o carro alugado, e partimos para Negril.

À distância do aeroporto até o hotel que ficamos foi de 80 km, e o tempo que gastamos foi de mais ou menos 1h40.

A estrada em si, foi bem tranqüila. Alguns pontos tinham buracos, e não tinha muita sinalização na via. Alem de a maior parte do caminho ser toda de pista simples.

 

Rick´s Café

Rick´s Café

 

Negril fica localizado em duas paróquias, a de Westmoreland no Condado de Cornwall, e Hanover no condado de Lucea.

É um balneário conhecido pelas suas lindas praias e incrível por do sol, e achamos um dos lugares mais legais da Jamaica.

A cidade não é muito bonita, e é “distribuída” de uma maneira diferente do que conhecemos, pois a impressão que dá é que a cidade é toda na beira da estrada.

Pode-se dizer que ela é dividida em duas partes, a primeira que é ao redor da Seven Mile Beach, a maior praia da ilha, que é onde fica concentrada a maior parte de restaurantes e barzinhos, e a segunda parte que é a West End, onde ficam os cliffs, e tem diversos hotéis boutiques e restaurantes, com uma vibe mais tranquila, e uma vista incrível.

Nós ficamos hospedados em um hotel na Seven Mile Beach, e achamos uma boa opção. Mas na próxima vez queremos ficar em West End, pois achamos um charme os hotéis, com um climinha muito gostoso.


Atrações Principais
:

  • Seven Mile Beach (mergulho, parasailing e passeios de barco)
  •  Rick´s Café
  • Cliffs
  • Mayfield Falls
  • South Coast

Clique AQUI para saber mais sobre NEGRIL.


2ª PARTE
– KINGSTON (1 NOITE)

 

De Negril para Kingston

De Negril para Kingston

 

De Negril para Kingston, foram 220 km, percorridos em cerca de 4h00 de viagem.

No começo a estrada é um pouco esburacada, mas depois fica mais tranquila, mesmo sendo simples. Durante o trajeto você passa por pequenos vilarejos, por isso tome cuidado, existem muitas pessoas andando na rua, e muitas motos circulando em alta velocidade.

Ao chegar mais perto de Kingston, a rodovia fica MUITO boa, e foi à melhor estrada que pegamos, parece muito às grandes rodovias brasileiras, com diversas faixas, iluminação e bem recapeada.

 

Bob Marley Museum

Bob Marley Museum

 

Kingston é a capital e maior cidade da Jamaica, localizada no Condado de Surrey.

É o principal porto e centro de negócios do país, ela é cercada pelas Blue Mountains, e não esta diretamente ligada à costa, sendo a única cidade das principais em que as praias não são a principal atração.

Pode-se dizer que a cidade se divide em duas áreas, New Kingston e o centro histórico. Achamos a cidade muito diferente do que pensávamos. Só incluímos Kingston no roteiro, pois queríamos muito conhecer o Museu do Bob Marley.

Uma pena, pois lá tem diversas atrações históricas para se conhecer e uma vida noturna muito boa também.

Muitas pessoas que vão para a Jamaica deixam de visitar Kingston, devido à fama de ser muito violenta. Ficamos muito pouco, mas não pareceu ser tudo isso que nos falaram.

Claro que a cidade é muito grande e espalhada, além de ter muita diversidade, tudo depende dos bairros que você vai, inclusive tem muitas favelas espalhadas como a Trechtown.

Ficamos mais na parte de New Kingston, que é a parte mais nova e é considerado o novo centro financeiro do país, com construções modernas e ruas largas.

Atrações Principais 

  • Museu do Bob Marley
  • Devon House
  • Emancipation Park
  • Blue Mountains

Clique AQUI para saber mais sobre KINGSTON. 

 

 

3ª PARTE – PORT ANTONIO (2 NOITES)

 

De Kingston para Port Antonio

De Kingston para Port Antonio


De Kingston para Port Antonio, foram 95 km, feitos em mais ou menos 2h15. Com toda certeza foi a pior estrada que pegamos.

Ao sair de Kingston, ela é muito acentuada, cheia de buracos, curvas perigosas, e beirando precipícios, entre montanhas e vales, com uma bela vista. Porém você deve ir bem devagar e com MUITA atenção.

 

Reach Falls

Reach Falls

 

Port Antonio é a capital da paróquia de Portland, no Condado de Surrey, uma cidade bem pequena, e ficou conhecida pelo ator Errol Flynn que tinha casa e frequentava muito o lugar, atraindo varias celebridades.

Com o desenvolvimento do turismo na outra parte da ilha, esta parte perdeu muito espaço, porém é lá que você vai encontrar as praias mais bonitas do país e uma natureza intocável, pode-se dizer que é lá que fica a verdadeira Jamaica.

 

Atrações Principais: 

  • Blue Lagoon
  • Reach Falls
  • Frenchman’s Cove
  • Bamboo Rafting no Rio Grande

Clique AQUI para saber mais sobre PORT ANTONIO. 

4ª PARTE  – OCHO RIOS (2 NOITES)

 

De Port Antonio para Ocho Rios

De Port Antonio para Ocho Rios

 

De Port Antonio para Ocho Rios foram 105 km em 2h10 de viagem. Com uma estrada bem simples, mas com uma bonita vista.

 

Blue Hole

Blue Hole

 

Ocho Rios fica na paróquia de St Ann, mesma paróquia onde fica Nine Mile, cidade em que Bob Marley nasceu, no Condado de Middlesex.

É uma cidade pequena, que antigamente era um vilarejo de pescadores, e hoje é uma cidade muito turística, e ponto de parada de diversos cruzeiros, com muitos resorts de luxo.

Um problema é que nos dias de parada do cruzeiro a cidade fica muito cheia e ruim para se visitar. Porém lá é aonde vimos as atrações turísticas com melhores estruturas.

Ela costuma ser a cidade base de muitas pessoas que vão para a Jamaica, devido a sua ótima localização, que fica entre Montego Bay e Port Antonio.

Atrações Principais:

  • Blue Hole
  • Dun’s River Falls
  • Mystic Mountain
  • Dolphin Cove
  • Nine Mile

Clique AQUI para saber mais sobre OCHO RIOS. 


5ª 
PARTE – MONTEGO BAY

 

De Ocho Rios para Montego Bay

De Ocho Rios para Montego Bay

 

De Ocho Rios para Montego Bay é praticamente uma reta que vai rente ao mar, são 100 km e fizemos em torno de 1h45.

Se tiver tempo vale à pena fazer algumas paradas no caminho, que tem alguns pontos interessantes como Discovery Bay, Runaway Bay e Falmouth.

 

Doctors Cave Beach

Doctors Cave Beach

 

Montego Bay é segunda maior cidade de Jamaica, capital da paróquia de Saint James, no Condado de Cornwall, e possui o maior aeroporto da Jamaica. Ela tem bastante transito, e é muito movimenta devido aos cruzeiros.

A cidade também é conhecida pelo maior festival de reggae o Sumfest, que rola entre julho e agosto.

Lá você vai encontrar acomodações de todos os tipos e preços, mas a cidade é mais conhecida pelos seus resorts incríveis super sofisticados.

A cidade tem muita estrutura, porem não é das mais bonitas e tem um transito bem caótico. Em minha opinião só vale ficar hospedado em Montego Bay, quem for ficar nos grandes hotéis, pois é lá que ficam os maiores de rede, porém eles ficam mais afastados do centro, sendo ideal para quem quer curtir mais o resort mesmo.

Se você não vai ficar nos resorts, recomendo se hospedar aos arredores da Gloucester Avenue, onde fica a área turística, não muito longe do aeroporto e uma área mais segura.

 

Atrações Principais:
  • Doctors Cave Beach
  • Margaritaville
  • Rose Hall Great House
  • Martha Brae Rafting Village
  • Glistening Waters
  • Cockpit Country

Clique AQUI para saber mais sobre MONTEGO BAY. 

Bom é isso ai galera, espero que tenha gostado e continue se ligando na ideia!

Pin It on Pinterest

Share This